Dar vida para aquele seu projeto de vídeo é uma das etapas mais prazerosas que teremos durante o processo, ainda mais quando seguimos essas cinco dicas.

Bolar um roteiro de vídeo é como ver um filho nascendo, dar liberdade a um animal, finalmente tirar de sua cabeça a que será a sua Magnum Opus (todas elas serão). Desculpem a dramaticidade, começamos um tanto empolgados, voltamos para a Terra agora.

O roteiro é a sua bússola, em termos mais modernos, o GPS do caminho que será traçado para que aquela ideia que estava armazenada na mente finalmente saia, o mais importante, com qualidade.

A importância dos vídeos na construção de seu material, como um produtor, ou na divulgação de certos materiaiss, atuando como um afiliado, já é comprovada, à essa altura do campeonato, você já deve estar sabendo bem.

 

Toda aquela história de credibilidade, autoridade e engajamento das personas é realíssima. Apenas as produções audiovisuais podem garantir que o possível cliente se sinta completamente confiante e confortável para realizar uma compra online e, se você fizer o trabalho direitinho no que diz respeito à qualidade do vídeo, mais do que certificar, você irá induzir os visitantes às compras.

Isso acontece quando seguimos todo o script do bom vídeo: Atenção aos equipamentos, ao cenário, às chamadas realizadas para atrair público, ao feedback durante e depois do vídeo, à internet que será utilizada em caso de lives e, antes tarde do que nunca, a roteirização, que na verdade, deve ficar no escalão das primeiras etapas obrigatórias.

“Obrigatório? Mas eu sou eloquente e desenrolado, posso me virar tranquilamente no improviso”. Pode sim, mas também pode colocar tudo a perder por não saber lidar com imprevistos, com situações inesperadas. O roteiro é peça-chave em transmissões e filmagens dos calibres mais altos que podemos imaginar, hollywoodiano mesmo, porque não seria no seu vídeo (com todo respeito).

Para facilitar o processo de criação, aqui vão cinco dicas de como roteirizar o seu vídeo de forma profissional:

 

Defina quais são os seus objetivos

Criar um vídeo apenas porque você leu em algum lugar que eles são legais não basta. É necessário direcionar o que está sendo feito, criar uma razão e uma identidade a ele. A intenção é meramente atrair algumas curtidas, não há problema nenhum, melhor ainda quando identificamos essa necessidade e começamos a produzir algo com características que cumpram com ela.

Atrair mais leads, mais visitantes, bolar uma aula audiovisual para complementar o conteúdo? Cada um deles têm características diferentes, ritmos e cortes diferentes e, nada de prestar vestibular em uma faculdade de cinema, com um pouco de experiência na internet e na criação de roteiros, rapidamente pegamos o jeito.

Tentar aglomerar todas as possibilidades em um material pode acabar deixando o visitante confuso, de saco cheio, sendo bem claro, por isso, não tente chamá-lo para todas as ações, ou misturar aulas com propagandas e bastidores e monólogos e animações. Foco no objetivo, quanto mais claro e sucinto, mais efetivo é o seu roteiro – vídeo.

 

Lembre-se das histórias

Quando for roteirizar, não esqueça de deixar no papel espaço para um pouco de storytelling. Contar boas histórias na hora de atrair e manter a atenção, isso que precisamos, nada de despachar números e informações pouco interessantes.

Com alguns bons efeitos visuais, ou uma narrativa atraente, com transições rápidas de quadros ou mesmo quando estiver ao vivo, ninguém resiste à uma história bem contada.

Nem sempre o preto no branco é o que os suas personas procuram, isso vai exigir um pouco de pesquisa e percepção de sua parte, apenas tenha certeza de não prolongar demais, para não dispersar a atenção do pessoal. Vale dizer que essa linguagem é mais adequada para as chamadas que você realizar, para o marketing de conteúdo, nem sempre para as vídeoaulas, por exemplo. Nesses casos, quanto mais prático, melhor.

 

Trilha Sonora

Sério, as trilhas que possivelmente darão o tom de sua produção são a alma do vídeo, sempre assim. No caso de palestras, webinars e lives, podemos deixá-la de lado, quando tratamos de conteúdo um pouco mais rebuscado, são elas que dão o tom.

Pense muito bem no que é mais adequado ao seu material, já enquanto estiver elaborando o roteiro, no estilo de trilha que têm maior poder de preenchimento e conotação do que está sendo apresentado visualmente.

 

Esquematização

Não sabe nem como começar o roteiro de sua live? Importaremos uma técnico mais do que testada e aprovado no meio da comunicação, em transmissões de rádio e televisão. Do lado esquerdo do quadro, podemos inserir o tópico que será abordado, enquanto o lado direito traz as palavras-chave do assunto.

Podemos deixar esses quadros em um canto de nossa tela no computador, ninguém está vendo mesmo, funciona como um teleprompter resumido.

Quando queremos bolar o roteiro de uma filmagem, de um material audiovisual gravado, devemos ser mais específicos, com detalhamento de cenas, falas em ordem, momento de inserção de áudios, cortes, ângulos, praticamente tudo, mas também com espaço para improvisações técnicas.

Um bom ajudante de produtor audiovisual é o EadBox, que fornece uma planilha extremamente funcional, organizando sistematicamente, com a sua colaboração, o tão esperado roteiro.

 

Hora da ação

Com todo o roteiro pronto, não podemos relaxar e achar que está tudo certo, em uma paz só. Não são todos que têm grandes habilidades em frente a câmera, o que nos lembra que é preciso alguma preparação e conscientização de atitudes e movimentos.

Mexer demais ou de menos as mãos pode atrapalhar o ritmo da narrativa, assim como repetir palavras. O tom de voz deve estar calibrado, nem muito baixo, nem muito alto, com alguma dose de energia, de preferência.

Nada que um pouco de prática não resolva, sinceramente. Apenas não deixe de tocar no assunto principal rapidamente, nem prolongue demais suas entradas ao vivo, já que roteirização nenhuma pode segurar visitantes com dez abas abertas no navegador de internet em sua página por muito tempo.